Notícias

25 de June de 2015

Terapia comunitária mobiliza participantes de evento antidrogas, em Porto Velho

PALESTRAS_DE_PREVENÇÃO_NA_ESCOLA_E_COMUNIDADE (77)O evento da Superintendência da Paz e das Secretarias da Educação e da Saúde que está sendo realizado na Zona Leste  da capital rondoniense,  que aborda medidas para o Enfrentamento ao Uso Indevido de Álcool e Outras Drogas  trouxe a Porto Velho o professor Adalberto Barreto,  criador da Terapia Comunitária Sistêmica Integrativa, que desenvolveu a sua maior roda de terapia na tarde de terça-feira (23) com a participação de mais de 500 pessoas.

Doutor em Psiquiatria e em Antropologia entre outras especialidades, Adalberto  Barreto promove cursos, palestras e é o responsável pela implantação da Terapia Comunitária em uma favela de Fortaleza (CE) há 28 anos.  Segundo seu relato, ele iniciou a terapia comunitária a partir de uma necessidade de moradores da periferia de Fortaleza, e  junto com a comunidade descobriu que as maiores dores  que as pessoas sentiam não eram causadas por doença, mas pelo sofrimento. A partir dai reuniu o seu saber acadêmico com o saber dos integrantes  da comunidade e iniciou um trabalho que tem apresentado resultados de excelente qualidade e virou até disciplina dos  cursos de graduação e especialização na Universidade Federal do Ceará.

No evento rondoniense, ele fez uma vivência da Terapia Comunitária que envolveu os mais de 500 participantes que aguardaram o encerramento das atividades do dia. Explicou a simplicidade da  metodologia utilizada  e os efeitos que causam aos participantes. O tema proposto por uma orientadora educacional de Jaru e aprovado por maioria, foi a respeito de mães que não suportando mais o envolvimento de filhos menores com as drogas e o péssimo desenvolvimento escolar, preferem agir como Pilatos, lavando as mãos e abandonado os filhos. “Elas dão os filhos por perdidos e dizem que não se importam mais; isso é muito triste e mostra a minha impotência como profissional quando não posso fazer nada”, explicou a educadora.

PALESTRAS_DE_PREVENÇÃO_NA_ESCOLA_E_COMUNIDADE (49)Para o professor, são esses tipos de sofrimento para os quais não há medicação que cure, a não ser o falar, o compartilhar e a terapia, prima por isso, o ouvir,   partilhar e refletir sem críticas.  “A vivência terapêutica trouxe para mim muitas surpresas”, destacou uma educadora de São Miguel do Guaporé.  Segundo ela, o “ dia do evento de combate a drogas foi extraordinário”.

Além do psiquiatra, a tarde de terça-feira teve também a participação da psicóloga Sâmia Abreu, da Coordenação Geral de Saúde Mental e outras Doenças do Ministério da Saúde, que falou sobre projetos do Ministério para o atendimento a grupos que ainda não são usuários de álcool ou outras drogas mas que convivem diretamente com estas pessoas e como podem ser protegidas para não assimilarem o uso. E a secretária de Educação de Curitiba, que trouxe experiências aplicadas na capital paranaense no combate ao uso  e prevenção ao álcool e outras drogas.

Categorias

Assistência Social, Brasil, Capacitação, Educação, Evento, Governo, Inclusão Social, Justiça, Legislação, Saúde

Tags

álcool doenças Drogas evento ministério da saúde participantes Paz prevenção psicóloga secretaria zona leste

Notice: Trying to access array offset on value of type bool in /var/www/vhosts/iperon.ro.gov.br/httpdocs/wp-content/themes/portal-iperon/single.php on line 87

Notice: Trying to access array offset on value of type bool in /var/www/vhosts/iperon.ro.gov.br/httpdocs/wp-content/themes/portal-iperon/single.php on line 90